Pular para o conteúdo principal

O que as Sereias buscam

Nadei por águas frias da fragilidade
Nadei por águas violentas da não aceitação
Nadei por águas profundas da insegurança
Nadei por águas traiçoeiras da baixa-estima

Busquei no oceano da indiferença um prazer, prazer esse que me manteria viva, segura.
Busquei no oceano pesadelo uma estabilidade, estabilidade essa que me manteria viva, segura.
Busquei no oceano de olhares que me julgavam uma forma de chamar atenção, que prendesse todos os olhares para que eu pudesse levar pra baixo d’água o preconceito.
Busquei no oceano construir o que eu queria moldar pensamentos, desconstruir padrões com algo jamais visto.
Impactar já é uma obrigação e levar uma mensagem é um dever.

Eu vi embarcações cheia deles
Eu vi a morte
Eu vi o ódio
Eu vi a rejeição
Eu vi a prisão

Vi a morte quando lutei pela minha vida quando criança, buscando corrigir minhas as más formações características da minha síndrome
Vi o ódio quando me olhava no espelho e não me sentia confortável com meu reflexo.
Vi a rejeição quando sentia os olhares das pessoas transpassando-me
Eu vi a prisão quando não via expectativa sentada em uma cadeira de rodas condenada

Foto : Tassio Lopes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ex-Boxeador Popó fala sobre a sexualidade do filho e mais "Eu vou subir no ringue com a musica K.O" de Pabllo Vittar

A matéria do ultimo dia 10/09 do conexão repórter  revela um pai, um pai ainda em desconstrução  com varias questões a serem resolvidas, mais um pai aberto ao dialogo e a aprender com o novo. Acelino Freitas, conhecido popularmente como Popó, parou a TV e a Internet pra falar de sua relação com o filho, que é gay assumido. Juan, ainda de 17 anos ensina ao pai que o amor é sempre amor, Popó que sempre viveu em ambientes machista como o mesmo disse, hoje aprende diariamente com a homosexualidade do filho. Encerrando sua carreira no boxe o ex-lutador promete ao filho e fãs que a trilha sonora de sua ultima luta será K.O. de Pabllo Vittar. Analisando a entrevista que dura quase uma hora, muito bem editada nota-se um pai ainda pisando sobre ovos para entrar em determinados assuntos, porem da minha parte noto uma certa “pureza” ou “inocência” de homem leigo que foi criado sem nenhuma informação sobre as questões de sexualidade e gênero e que na altura do campeonato tem que aprender a lida…

Agora a gente troca! - CALMA NÃO SURTE - Esta tudo bem.

Ei calma , não é a hora de surtar.
Muito se fala das preliminares não é mesmo ? um bom sexo oral também conta,  porem conta pra todo mundo, NÃO SÓ PARA OS HOMENS CIS.
Mulheres cis querem ter suas bucetas chupadas, homens trans querem ter suas bucetas chupadas e sim óbvio que mulheres trans querem também  ter seus paus chupados e bem chupados! (Logico que sabemos nem todxs)
Tudo isso com consentimento e bem acordado, se faz bem para seja la quem tiver participando esta tudo ok! Sem grandes desesperos, pois todo mundo gosta de receber prazer afinal.
Não  sabe como chegar la ? a tia Lele vai te ajudar. PEÇA ! pedir não é vergonha , vergonha é ficar sem gozar querendo gozar!
Fale com sua/seu parceirx poxa , dialogo também é imprescindível numa boa e completa transa, não precisa ser um contrato a la 50 tons mais já da pra pautar algumas coisas, como “pode” ”não pode” ”deve” ”porque não fez antes?” .
Vamos parar com esses tabus e se joga.
Não vamos esquecer de nos prevenirmos.

Sob o Chão

Eu me vi encantada por pouquíssimas pessoas, raramente alguém me deixava desfocada.
Não sou do tipo santa, mais adoro romantismo barato, fico extremamente à flor da pele quando me olham de cabeça baixa com as sobrancelhas levantadas, olhar focado ao meu e pequenos gestos com os dedos me deixa excitada, uma descruzada de pernas de um homem de atitude já me ganha.
Um dia um desses um homem até bem conhecido na minha região, novo, com sua beleza única, diferente, muitas falam que tenho gostos particulares, mais enfim ele era o cara que me chamava à atenção fazer o que?
Acho que foi uma das transas mais incríveis que já tive diferente, mais incrível, você vai entender o porquê.
Meu apartamento sendo montado, móveis chegando, aquela bagunça de mudança, cama cheia de caixas em cima, já podia esquecer ela.
Como combinado fico ali, do lado de fora esperando ele passar pela portaria, ele chega, obviamente mais alto que eu na cadeira de rodas ele se abaixa apoiando na frente da cadeira e em mov…